Qual foi a cirurgia plástica mais comum no último ano?

Por Dalane Santos
23/3/2012    Nos Estados Unidos, nenhum tipo de cirurgia plástica foi tão popular em 2011 quanto a lipoaspiração. O procedimento, atalho para milhões de pessoas que desejam entram em forma rapidamente, liderou o topo da lista anual formulada desde 1997 pela Associação Americana de Cirurgia Plástica Estética (ASAPS, na sigla em inglês). Atrás da “lipo”, vieram aumento de seios, plástica abdominal, plástica nas pálpebras e levantamento da mama.

Os dados da associação americana explicitam uma nova realidade: no último ano, aumentou em 1% o número de cirurgias plásticas, enquanto caiu em 2% o número de intervenções estéticas não cirúrgicas, como o botox e tratamentos a laser. Isso mostra uma maior confiança e pré-disposição das pacientes (mulheres, em sua maioria) a enfrentar o bisturi ao invés de procurar métodos alternativos.
De 1997 para cá, o número absoluto de cirurgias anuais cresceu em significativos 197%, somando homens e mulheres. Os números obtidos nesta pesquisa foram retirados a partir de um estudo que envolveu 1.100 médicos dos Estados Unidos, 420 dos quais eram essencialmente cirurgiões plásticos.
No Brasil, onde o acesso à cirurgia é facilitado e existe a chance de conseguir um procedimento gratuito, também há dados de 2011. São verificadas algumas diferenças em relação aos EUA no ranking das cirurgias mais procuradas. Enquanto as americanas dão máximo valor à ausência de gordura (colocando a lipoaspiração no topo da lista), o procedimento campeão entre as mulheres é mesmo o aumento dos seios.
O contrário ocorre: implante de silicone, por aqui, é seguido pela lipoaspiração, em segundo lugar. Depois, temos rinoplastia, a intervenção cirúrgica no nariz. Dado curioso, já que esta opção nem aparece entre as mais procuradas nos EUA. Em quarto lugar está a plástica abdominal, e em quinto, o oposto da primeira colocada: cirurgia para redução de seios. [Web MD]  

Nenhum comentário:

Postar um comentário